10 dicas profissionais para criação de sites, coloque seu negócio na web

Quero ter um site, por onde começo? Muitos empreendedores me perguntam isso, para fazer um site é necessário um planejamento prévio, decidindo que tipo de conteúdo vamos publicar, qual o público alvo, se o site será para vendas, institucional ou informativo. Enfim, todo o planejamento que fazemos para um novo negócio.

O site em si começa no registro de domínio, o domínio é o seu endereço na internet, é o “www.seunome.com.br”

Para sites que vão atuar no Brasil recomendo usar um domínio “.com.br”, estes domínios podem ser registrados no site http://registro.br/, o valor é de R$ 30,00 por domínio, e é anual.

É muito importante a escolha do nome, e registrar o mesmo o quanto antes, pois enquanto o domínio estiver disponível qualquer pessoa pode comprá-lo.

Outro ponto interessante é registrar tudo no nome do responsável pelo site, é bem comum empresas se oferecerem para ser intermediárias desse processo, e comprarem o domínio no nome delas, aí você se torna refém da empresa, pois o domínio está registrado em nome de um terceiro.

Em seguida vem a escolha da hospedagem, em uma busca rápida no google você vai encontrar várias empresas oferecendo serviços, verifique com o desenvolvedor do seu site os requisitos da hospedagem antes de contratar.

E só então vem a construção do site em si. Não vamos citar aqui o layout, ou o trabalho do desenvolvedor, o foco aqui é o trabalho que deve vir antes: planejamento, definição e produção de material para o site.

Seguem dez dicas profissionais para obter sucesso quando pensar em criação de sites:

Objetivo - Criação de Sites

1 º – Objetivo do site:

Você quer vender um produto, um serviço, reforçar a marca através de um site institucional ou entrar em contato com seu público através de um blog, entre outras opções. O seu desenvolvedor toma uma série de decisões sobre o que usar ou não usar no site apenas com a definição do objetivo.

Você pode saber mais sobre tipos de site neste artigo:

8 tipos de site para você impulsionar o seu negócio

2º – Público Alvo:

Com quem você quer contato. A internet é imensa, isso todos sabemos, mas saber o perfil das pessoas que você quer visitando o seu site, e construir o mesmo de acordo, ajuda muito a gerar resultados. Pesquisas como o sexo, idade, escolaridade, profissão, faixa de rende, localização geográfica, interesses, gostos,  são apenas o começo do filtro para que o seu site comunique com a máxima eficiência com o seu público alvo.

Público Alvo - Criação de Sites
Estrutura do Site

3º – Estrutura apropriada:

A estrutura do site é onde vai o quê. Posicionamento do logotipo, menu, informações de contato, banners de propaganda, chamadas para ação, etc. Esses itens variam de acordo com o objetivo que deseja atingir.

4º – Linguagem:

É a maneira que você escreve, as imagens que usa, a forma como trata o seu usuário. Usar a linguagem apropriada ao seu público alvo é fundamental para estabelecer um bom relacionamento.

Por exemplo, se você quer contato com gerentes e executivos na faixa dos 40 anos, com renda acima de seis salários mínimos, não é recomendado abusar de gírias e referências pop, isso não quer dizer que esse público não possa gostar disso, apenas que a maioria dele não se sente atraída e conectada com essa linguagem.

Liguagem do site
Cores do site

5º – Cores:

Existe um estudo extensivo sobre isso, em outro artigo vamos explorar mais a fundo, mas no momento apenas ressaltar que algumas cores impactam mais os usuários do que outras, em cada área.

Alimentos por exemplo, é comum usar vermelho e amarelo, que são cores que despertam nossa fome. Já o verde está mais ligado a atividades relacionadas a natureza e saúde. Leve isso em consideração em seus projetos.

6º – Arquitetura da Informação:

É a maneira como o seu conteúdo está organizado dentro do seu site, com que facilidade o usuário encontra a informação que procura. Como você dá destaque para um conteúdo e coloca outro em segundo plano, sem o tornar obscuro e inacessível.

Neste caso sempre lembro de um exemplo, precisava pegar fotos de produto para um cliente que revendia rodas esportivas, mas no site do fabricante era muito complicado encontrar fotos das rodas, eram aproximadamente 7 cliques até chegar na roda desejada, esse é um exemplo do que não fazer.

Arquitetura da Informação

7º – Fotografias e ilustrações:

Isso daria um artigo a parte também, mas para resumir é, tenha boas imagens. E como produzir? Tirando fotos em ambientes limpos e organizados, para produtos, de preferência contra um fundo claro e uniforme, como uma parede branca ou algo semelhante. Para fotos de ambiente, ter o ambiente limpo, organizado, sem pessoas que não deveriam estar ali.

Parece óbvio, mas várias vezes recebo fotos de clientes que querem colocar uma foto da fachada da empresa por exemplo, e nas fotos você vê montanhas de lixo, pedestres passando e conversando, animais abandonados, enfim, de tudo um pouco. A dica aqui é apenas ter cuidado e bom senso com o material que vai publicar na internet.

8º – Escrever bem e o suficiente:

Outro ponto importante, quanto texto colocar em cada página. É muito comum para produtos se resumir a dados técnicos, o que costuma gerar pouco texto e tornar a leitura desinteressante, já em blogs, as vezes ocorre o contrário, paredes de texto sem fim, o que também desanima a leitura, é interessante ter 300 palavras no mínimo para fins de otimização nos buscadores.

Escrevendo para o site
Redes Sociais

9º – Redes Sociais:

Quando escolher o domínio para o seu site, ou o nome do seu negócio, é interessante já criar uma página no Facebook, canal no Youtube, também contas no Instagram, Twitter, Google Plus, etc.

Ainda que não tenha uso imediato, você vai reservar o nome nessas redes sociais, e já de início vai poder começar a movimentar, convidar amigos próximos, aprender a usar as redes se não tem muita prática e quando lançar o negócio, já vai poder fazer no máximo de canais.

10º – Formulários  e Chamadas para ação

Muitos sites bem feitos acabam tendo poucos resultados por não usar formulários visíveis e botões de ação, ou “call to action”. Essas ferramentas são para que o usuário tenha um meio de contactar a empresa, fazer orçamentos, etc.

Os botões de ação, como o nome já diz, servem para direcionar para ação, seja visitar uma página específica, assistir um vídeo de venda, baixar um e-book, se inscrever em uma lista de email, entre outras coisas.

Esse é o dever de casa daqueles que desejam lançar um projeto online de sucesso. Já fiz muitos sites sem nada disso e posso afirmar com certeza, esses projetos geram resultados muito pobres, quando geram. Na maioria dos casos o investidor abandona depois de alguns meses, reclamando que ninguém visita a sua página e que internet não dá certo.

Além desse trabalho preliminar, em breve vamos escrever um novo artigo sobre manutenção de sites e divulgação.

Inscreva-se com seu email em nosso site para receber mais informações sobre como melhorar o seu negócio através da internet.

[inbound_forms id=”121″ name=”Inscrição no Site”]

Sem avaliações ainda, seja o primeiro

Avalie nosso artigo

Comentários