Como perdi a Vergonha de Vender

Como perdi a vergonha de vender

Primeiro eu preciso dizer que eu já fui muito tímido, não conseguia me relacionar com as pessoas, conversar, que dirá abordar alguém, mas um dia precisei perder a vergonha de vender.

Trabalhei algum tempo como representante comercial, e sinceramente, foi meio traumático também, mas lá eu aprendi que não caia pedaço conversar com as pessoas e ser rejeitado.

Quando abri a minha empresa, e começamos a ter clientes maiores a vergonha pegou. Eu precisava ir a reuniões com empresários, diretores de grandes empresas, e não foi uma ou duas vezes que me falaram que quando marcaram uma reunião com o sócio da GN10, esperavam outra pessoa.

Eu, 23 anos, com cara de 18, meio tímido e desajeitado, tinha que convencer 2 ou 3 executivos de que a minha empresa era a melhor solução para atender o projeto deles.

Entrava tremendo nas salas de reunião, parecia que eu estava entrando na arena do coliseu para encarar um leão, armado só com um pedaço de pau.

Mas depois de um tempo as coisas mudaram, e eu comecei a prestar atenção na causa da mudança.

Primeiro, vergonha é um sentimento, algo que está acontecendo dentro de você, e não fora. Guarde bem isso, vergonha, medo, insegurança são sentimentos internos, isso tudo está acontecendo dentro de você, e se está dentro de você, você pode controlar.

Os sentimentos são como alarmes, as vezes a gente não percebe os detalhes da situação, tem altas expectativas e ignora os fatos. Para isso existem os sentimentos, para nos alertar que tem algo errado, é instintivo, vem dos nossos ancestrais e nos ajudou a sobreviver por milhares de anos, não ignore os seus sentimentos.

A fonte da minha vergonha de vender

No meu caso, a vergonha e a insegurança tinham uma fonte. Falta de preparo. Muitas vezes eu entrei em reuniões sem saber nem o nome das pessoas e o que aquela empresa fazia, isso é despreparo.

Sem saber isso, como vou saber qual serviço ou produto oferecer? Além disso, o quanto eu conheço dos meus produtos e serviços? Minha vergonha e insegurança só passaram depois que eu dominava completamente a minha parte do negócio. Não havia uma única pergunta que eu não pudesse responder com naturalidade e segurança.
Também comecei a pesquisar os clientes antes das reuniões, nunca mais entrei em uma reunião sem saber qual era o negócio daquela empresa, quais eram os concorrentes, como era os sites da empresa e dos concorrentes, quem estava no topo das buscas do google, quem anunciava, quem estava nas redes sociais, etc.

Eu passei de garoto inseguro a maior autoridade negócios pela internet dentro das salas de reunião. Eu podia dissertar sobre a empresa e os concorrentes dela por muito tempo apontando erros e acertos, e isso encantava os clientes. Antes de me contratarem, eu ajudava a empresa a resolver problemas que eles nem sabiam que existia, mas prejudicava a imagem deles.

Como lidar com o medo da rejeição

Com relação ao medo que enfrentava. O medo que eu tinha era de ser rejeitado, que as pessoas recusassem minhas propostas. Esse medo vem de uma mentalidade de escassez, eu estava desesperado para pegar o serviço, tinha medo que o cliente dissesse não, colocasse objeções, reclamasse do preço.

Isso só mudou quando tomei consciência de que o mercado é muito grande, muito maior do que eu possa atender trabalhando 24 horas por dia, 7 dias por semana.
Se um cliente recusa as minhas propostas hoje eu agradeço. Alguém que não enxerga o valor daquilo que eu ofereço, ou não pode pagar aquilo que vale o meu produto ou serviço no momento não deve ser meu cliente.

Por quê? Ele provavelmente vai me dar dor de cabeça depois, inventar mil alterações de projeto que não estavam no contrato, atrasar pagamentos, ou se recusar a pagar, tentar explorar o meu trabalho ao máximo para tirar vantagem, tudo isso já aconteceu comigo, e sinceramente, quando essas pessoas vem pedir orçamento para trabalhar comigo novamente eu gentilmente indico os meus concorrentes.

Eu não tenho medo de falta de trabalho, por isso hoje tenho uma fila de espera de 3 meses para alguém iniciar um projeto comigo, e só pego clientes que eu julgo qualificados, praticamente metade das pessoas que me pedem orçamento eu gentilmente declino.

Guarde isso, sentimentos negativos são alarmes de que algo está errado com você, para de tentar mudar o mundo. Se prepare, domine o seu negócio, estudo seus serviços, produtos, mercado e tudo relacionado até você ser ou doutor no assunto.

Tenha uma opinião realista sobre o seu mercado, se ele é muito pequeno, expanda, ou mude de área, não se apegue a negócios, se apegue a vida, por que o tempo passa, e você não quer perder tempo tirando água de um poço seco quando tem um mundo de riqueza e prosperidade aí fora para um bom vendedor aproveitar.

Por isso recomendo a você que estude e também acabe com a vergonha de vender!

Se você está procurando renda extra, recomendo que leia nosso artigo sobre ideias de renda extra.

5/5 (1)

Avalie nosso artigo

Comentários