Plano de negócios, Dicas de como fazer o seu

Plano de negócios

Um plano de negócios é um documento que detalha não somente as ações mas os conceitos e o funcionamento de um novo negócio, ou de uma nova filial de um negócio existente. Ele vai além de listar ações, ele muitas vezes nos mostra se um negócio é viável ou não com os recursos que temos. Ele pode nos salvar de começar algo que talvez não possamos terminar sem ajuda ou um empréstimo, por isso é tão importante.

Mas existe uma certa confusão com relação a outras expressões que usamos nesse meio, como a ideia de negócio, o modelo de negócio, o plano de marketing, entre outras coisas que são confundidas com o plano de negócios.

O objetivo do plano de negócios é ser um guia prático do dimensionamento do negócio e das ações para torná-lo viável, ele pode evitar as dificuldades e incertezas do negócio e nos dar um passo a passo claro do que fazer e de como alcançar nossos objetivos. Se você está desempregado ou pensando em empreender por estar insatisfeito com seu trabalho atual esse é um bom começo.

Espero que goste da leitura.

Plano de negócios Pronto

Admito que já trabalhei desenvolvendo planos de negócio para terceiros, mas essa não é uma boa prática e vou te contar a razão. Um plano de negócio é algo muito pessoal e particular, existem muitas variáveis envolvidas que não podem ser mensuradas. O principal ponto é que o negócio depende muito do empreendedor, de sua motivação, habilidades, recursos. Agora imagine se fosse um plano de treino.

Imagine que você dá a uma pessoa sedentária o plano de treino de um atleta olímpico, você acha que ele vai conseguir seguir? O mais provável é que se esgote no aquecimento, e se continuar forçamento pode até se machucar. Assim são os planos de negócio, imagine um plano de negócios para um restaurante onde contamos que o dono vai ser também o chef de cozinha, para economizar.

Esse plano só vai dar certo para alguém que tenha as habilidades de um chef, além disso, também se espera do empreendedor uma série de outras habilidades para gerir um restaurante, então esse plano não vai servir para qualquer pessoa.

 

Modelo de Plano de Negócios

Existem na internet diversos modelos de plano de negócios, pessoalmente recomendo o do Sebrae, por ser bastante completo. Mas só um modelo não basta na hora de criar o seu negócio, pois existem certos detalhes que muitas vezes nos faltam.

Pessoalmente prefiro contrariar a linha de raciocínio padrão e começar o plano com os recursos do empreendedor. Depois de fazer alguns planos e descobrir só no final que não posso executar por falta de dinheiro, pessoal, experiência, ou qualquer outra coisa passei a preferir começar por aí.

O primeiro recurso é dinheiro, não é o mais importante, mas é o que mais pode nos limitar. Fazer um levantamento honesto de quanto dinheiro pode investir modifica todo o planejamento. Digamos que você tem 10 mil reais para começar, neste caso dimensionamos para este valor. Se você tiver 100 mil reais o plano vai ser diferente, entende a razão de começar levando isso em consideração?

Além disso existem outros recursos que é bom levar em consideração antes de começar a preencher o plano:

  • Tempo disponível
  • Experiência pessoal na área
  • Pessoal (sócios, parceiros, funcionários, etc)
  • Máquinas, imóveis, automóveis e outros bens necessários para o funcionamento

Existem mais itens, mas esses dados são interessantes de se levantar antes de começar a escrever o plano pois podem promover ou inviabilizar o seu modelo de negócio.

Principais pontos do plano de negócios

Um plano de negócios precisa se adaptar as necessidades de quem o desenvolve, não deve ser rígido, mas em linhas gerais é importante que ele responda os seguintes pontos:

  • Qual é o seu negócio?
  • Como agregar valor para as pessoas?
  • Quais os seus principais produtos ou serviços?
  • Qual o seu nicho de mercado?
  • Qual o o perfil e a persona do cliente?
  • Onde será localizada a empresa?
  • Qual a área geográfica de atuação da empresa?
  • Qual o valor do investimento inicial?
  • Qual a previsão de faturamento e lucro?
  • Qual o retorno do investimento?

Qual é o seu negócio?

Além do nome do nosso blog é uma pergunta muito importante para você fazer a si mesmo. Conheço muitos empreendedores que iniciaram seus negócios sem uma visão clara disso, e em consequência todo o resto também ficou sem muita definição.

A resposta para essa pergunta pode lhe trazer grandes horizontes, ou limitar você ao ponto de levar a falência. Por exemplo, digamos que você teve a ideia de vender coxinha. Por enquanto é só uma ideia, você vai vender para quem? Pessoas que vão consumir a sua coxinha no local em que você vende? Pessoas que vão comprar congelados de você para fazer em casa? Outros estabelecimentos que vão comprar de você para revender? De uma simples ideia nós tiramos várias possibilidades diferentes de negócios, cada uma delas vai levar o empreendedor por um caminho. Você pode seguir todas elas é claro, mas cada uma tem seus detalhes, seu investimento, e também vai dividir os seus recursos.

Então o seu negócio pode ser vender coxinhas para pessoas que querem fritar salgados em casa para consumo próprio. Essa já é uma ideia bem mais específica e clara, você vai preparar a coxinha, congelar, embalar e vender esses pacotes. Neste cenário é mais importante ter um bom freezer do que uma fritadeira por exemplo. A ideia clara de negócio nos orienta a fazer investimentos inteligentes, alinhados com nosso objetivo final.

Como agregar valor para as pessoas?

Agregar valor pode parecer algo batido, que todo mundo fala, mas é vital em qualquer negócio. É bastante provável que o negócio em que você vai entrar tenha concorrência, seja direta de outras empresas que prestam os mesmos serviços ou vendem os mesmos produtos. Ou então indireta, de empresas que fornecem produtos ou serviços que suprem as mesmas necessidades.

Voltando ao nosso exemplo da coxinha, existem inúmeras formas de agregar valor, por exemplo:

Qualidade: Salgado bem temperado, de acordo com o gosto do público alvo. Isso é importante, levar o gosto das pessoas em consideração, em algumas regiões do país as pessoas preferem mais apimentado, outros gostam de temperos específicos, como coentro por exemplo. Então quando falamos de qualidade é agregar qualidade para as pessoas que vão ser os seus consumidores, e não para o seu gosto pessoal.

Customização: Esse é outro ponto de diferenciação, franquias como Subway por exemplo se destacaram por isso, a possibilidade do cliente montar o seu lanche da maneira que achar melhor, ter liberdade de escolha, opções, esse é o seu diferencial.

Preço: Já conversamos aqui sobre isso, estratégias de diferenciação unicamente no preço são perigosas, pois colocam em risco o seu lucro. Mas em vários casos pode sim ser um dos fatores de diferenciação do seu negócio, conheça os preços dos seus concorrentes e veja como se posicionar e se tornar competitivo.

Logística: Logística não é apenas o raio de entrega dos seus produtos. A embalagem, peso dos pacotes, volume, modal de transporte, que seria a forma de entrega, caminhão refrigerado, van, motoboy, avião, barco, etc. Pontos de distribuição, pontos de venda, centros de distribuição. Tudo isso pode ser o  seu diferencial. conseguir colocar o seu produto com frete adequado na maior área possível, ou atender áreas que seus concorrentes não atendem é uma maneira de agregar valor.

Marketing: Existe uma série de produtos que não compramos por serem os melhores ou mais baratos, mas por estarem sempre na nossa mente. O marketing pode transformar um produto que apenas por si mesmo custar 50 reais valer 500 reais. Esse é o poder de construir uma marca, um bom marketing pode transformar a sua marca em uma grife e aumentar muito o valor agregado do seu produto ou serviço.

Atendimento: Por mais avançada que se torne a tecnologia, pessoas compram de pessoas. Hoje você tem lojas online, máquinas de vendas automáticas, mas tudo isso foi projetado e estudado por pessoas que precisavam ter um profundo conhecimento sobre os seus clientes. O bom atendimento pode ser o divisor de águas entre uma compra única e um cliente fiel. Por isso ele está aqui para lembrar você de incluir ele no seu plano.

Existem mais pontos nos quais podemos agregar valor, mas penso que estes que foram citados ilustram bem a ideia que queremos transmitir aqui para você.

Qual o seu nicho de mercado?

Nem todo negócio precisa ser de nicho, mas nos últimos tempos trabalhar com nichos de mercado tem ajudado muito no sucesso dos novos empreendedores. Nicho de mercado é uma fração muito específica de um mercado. Seguindo com nosso exemplo, podemos dizer que vender coxinhas congeladas nos coloca no mercado de alimentação. Agora vender mini coxinhas congeladas para empresas de eventos nos coloca atendendo um nicho mais específico, o de empresas que terceirizam alimentação para eventos. Os clientes podem ser diferentes, com necessidades diferentes e abordagens de marketing diferentes.

Se nós inventarmos uma coxinha fitness entramos em outro nicho de mercado, e por aí vamos. O nicho é um mercado segmentado, específico e menor. A vantagem de se trabalhar nele é que em um mundo onde a oferta de produtos e serviços é cada vez maior ter um produto que atende as nossas necessidades mais específicas o torna um grande diferencial.

Quando pensamos em trabalhar na internet para fazer uma renda extra, buscar um nicho é uma ótima maneira de começar.

Quais os seus principais produtos ou serviços?

Ter uma visão clara disso também é vital para o plano de negócios. Pode parecer simples, mas essa definição pode mudar completamente o seu conceito de negócio. Voltando no nosso exemplo, o principal produto é a coxinha congelada.

Mas considerando o investimento é perfeitamente possível fazer outros salgados não é mesmo? Com praticamente a mesma estrutura você pode trabalhar com mini coxinhas para festas de aniversário, ou fazer uma versão do salgado assada ou integral para um público fitness preocupado com a saúde, entende onde quero chegar?

Os seus produtos ou serviços principais meio que definem a personalidade do seu negócio, e por consequência a afinidade com o público alvo. Além desse ponto existem ainda outras estratégias de negócios a serem consideradas.

Uma padaria por exemplo, não lucra muito vendendo pão e leite. São os outros produtos que trazem o lucro, mas é o pão que atrai a maioria da clientela. É muito comum as empresas terem um produto para iniciar um relacionamento com o cliente para abrir caminho para outra venda que vai trazer mais lucros.

Outro exemplo são os carros, apesar dos preços serem mais elevados aqui no Brasil do que em outras parte do mundo a maioria das montadoras não lucra muito com a vendada de carros. Seu lucro está na venda de peças de reparo e serviços. Vou dar o meu exemplo, comprei um carro usado por 25 mil reais, um ano depois precisei trocar uma peça, na minha cidade apenas a concessionária autorizada tinha, eles vendiam apenas um conjunto por 2,5 mil reais. É bem improvável que a peça valesse 10% do valor do carro, e é assim que você vê como a indústria automotiva lucra.

Qual o perfil e a persona do cliente?

Muitas vezes pensamos que conhecemos nosso cliente, mas como empreendedores precisamos colocar isso de lado e realmente pesquisar se quisermos ter segurança para seguir com nosso negócio. Perfil e persona são coisas distintas que vamos explicar em seguida:

Perfil do cliente: É uma descrição do nosso cliente ideal, gênero, idade, renda, escolaridade, hábitos, desejos, tudo isso entra no perfil do nosso cliente. Ele é uma coletânea de todos os dados que conseguirmos do nosso cliente.

Persona: É um modelo biográfico com base no perfil, é a biografia do seu cliente ideal. Podemos dar nomes e usar fotos para tornar a persona o mais real possível. Por exemplo nossa persona pode ser a Maria, 36 anos, trabalha como administradora em uma empresa de transportes, casada, tem dois filhos, um de 4 anos e outro de 7, faz academia e se preocupa com a saúde de sua família.

Esse é um exemplo sucinto de persona, mas só com isso já dá para imaginar que ela tem pouco tempo, mas não é o tipo de mãe que procura opções saudáveis para a alimentação da família, apesar de ter pouco tempo. Então estamos começando a entender as necessidades da Maria, enxergando ela como uma pessoa, e não como um amontoado de números, é para isso que serve a persona.

Onde será localizada a empresa?

Esse também é um ponto muito importante do nosso plano de negócios, por uma infinidade de razões. Se você vai atender a um público local já dá para imagina a razão. Uma padaria por exemplo, a sua localização já define bastante qual vai ser o público que ela vai atender.

E isso é importante para quem vai trabalhar online também, quem vive o dia a dia de uma loja online sabe a importância de se estar próximo a uma unidade dos correios, acesso a transportadoras ou as rotas de coleta dos correios. Tive um cliente que precisou fechar a loja dele apesar de conseguir vender, pois ele estava a 18 quilômetros da unidade do correio mais próxima. A localização também afeta questões tributárias, se você é importador isso pode ser a diferença entre sucesso e falência pois estados diferentes tem tributações diferentes.

E ainda existem questões estruturais, se você vai atender pessoas no local vai precisar de um estacionamento, ou de locais próximos para estacionar. Iluminação da rua, tráfego, segurança, questões ambientais são apenas alguns dos fatores que vão afetar a sua empresa com base apenas na localização.

Muita gente começa a trabalhar em casa, que é uma ótima maneira de reduzir custos no começo. Mas dependendo de onde você mora e do tipo de negócio, isso pode se tornar um problema rapidamente. Então leve tudo isso em consideração na hora de definir a localização da sua empresa.

Qual a área geográfica de atuação?

Essa é uma excelente pergunta para pensar. Negócios que dependem do público local já tem essa resposta mais facilmente. Porém quem trabalha com ecommerce já precisa pensar mais. Teoricamente pode atender o mundo inteiro, mas isso também implica dividir sua verba de marketing, sofrer com custos de frete e tributações. Trabalho em Curitiba e já tive muitos problemas em vender para a região norte e nordeste, devido aos custos de frete, que muitas vezes tornam o meu preço muito mais caro que os concorrentes mais próximos do cliente.

E como isso afeta o marketing? Se criamos campanhas para todo Brasil dividimos nossa verba dessa maneira, então boa parte das pessoas que visitam minha loja online podem sofrer com custos de frete elevados e não comprar de mim. Essas visitas geram custos e nenhum retorno, então se você não tem um frete bom para determinada região pode ser uma decisão estratégica não divulgar sua loja nessa região. Isso sem falar na parte da tributação.

Qual o valor do investimento inicial?

Já passei pela frustração de trabalhar semanas em um plano de negócios apenas para descobrir que no final eu não tinha o dinheiro suficiente para investir ou crédito para emprestar. E essa é a realidade da maioria dos novos empreendedores. Por isso eu citei lá no começo do texto a necessidade de fazer um levantamento dos seus recursos. Se você faz um plano pensando em quanto tem e no quanto pode levantar com empréstimos ele vai ser muito mais realizável quando você chegar nessa etapa.

Se você não tem todo o capital minha primeira sugestão é avaliar se você precisa de um negócio nessa escala ou se pode começar menor. Feito isso podemos usar as informações das etapas seguintes para argumentar na hora de procurar sócios ou um empréstimo.

Qual a previsão de faturamento e lucro?

Aqui é importante pesquisar muito. Pois isso é sempre uma hipótese que só vai se verificar quando estivermos operando de fato. Faturamento é o quanto você vai vender no total, para chegar nesse número pense em quantos clientes você imagina que vai conseguir. Quanto eles vão comprar? Vai ter compra recorrente? Além disso você pode ter um alto faturamento e levar prejuízo.

Faça um levantamento minucioso dos seus custos fixos e variáveis. O que sobrar é o seu lucro, ter estimativas realistas do lucro podem fazer com que você mude completamente o seu plano de negócios. Com essas informações vai ficar muito mais fácil você conversar sobre sociedade e empréstimos.

Qual o retorno do investimento?

Todo negócio exige um investimento inicial. Quando o lucro que acumulamos atinge essa soma é o ponto em que nosso investimento inicial retornou para o nosso bolso. Na prática é aí que começa o lucro do empreendedor ou investidor. Se o seu retorno for de um ano por exemplo, significa que vai trabalhar um ano só para reaver o dinheiro que investiu. Além disso é que vai começar o seu lucro de fato.

Esse número é muito importante para investidores, pois determina por quanto tempo o capital vai ficar preso naquele determinado negócio. Outro ponto é que aqui não podemos ser otimistas, durante a nossa trajetória vão acontecer problemas inesperados, talvez precise de mais investimento ou sacrificar o lucro. Isso pode adiar ainda mais o retorno do seu capital. Então seja o mais realista possível aqui para não ter surpresas desagradáveis.

Escrevendo um plano de negócios

As dicas citadas aqui compõe um plano de negócios, mas não são o seu todo. Mais do que um plano esse documento também é uma simulação de como o seu negócio irá nascer. Muita vezes a ideia de negócio que geramos não consegue passar do plano, muitas vezes por falta de recursos ou então por um mal dimensionamento do negócio.

Mas criar um negócio exige um salto de fé no desconhecido. Muitos negócios começaram contra todas as dificuldades e se tornaram gigantes. Abrir um negócio exige otimismo, do contrário é melhor deixar o dinheiro na poupança se comido pela inflação.

Os verdadeiros empreendedores não criam negócios pelo dinheiro, criam para um objetivo maior, o dinheiro é a ferramenta para chegar lá. Ninguém quer o dinheiro pelo dinheiro, use a sua imaginação para visualizar os seus sonhos se concretizando, isso vai motivar você muito mais.

E por fim, escrever um plano de negócios já é um trabalhão, muitos nem terminam por preguiça de pensar e pesquisar. E é por isso que muitos quebram no primeiro ano, preguiça não combina com empreendedorismo, se você não conseguiu fazer o plano é melhor deixar isso de empreendedorismo para outra pessoa.

Como trabalhar na internet?

Se você está pensando em trabalhar na internet, além das sugestões que fizemos sobre o plano de negócios, você vai se beneficiar muito da experiência de outros empreendedores da área. Recomendamos muito o curso Fórmula de Negócio Online, pois nele você vai pode contar com a ajuda de um profissional que já passou por todo esse processo e vai te ensinar passo a passo como construir um negócio online.

Sem avaliações ainda, seja o primeiro

Avalie nosso artigo

Comentários